Dilthey, Wilhelm  (1833-1911)

 

Professor em Breslau, Kiel e Berlim, influencia o vitalismo. Considera a vida humana como uma unidade originária e transcendente e jamais como um composto de elementos. Cada coisa é um ingrediente da nossa vida, cada coisa tem significação, ao integrar-se na realidade unitária da vida. Como em  Eduard Spranger, Heidegger e Ortega y Gasset, teoriza tanto a noção de explicação,de carácter causal, própria das ciências físicas e biológicas (Naturwissenschaften), como a de compreensão (verstehen), respeitante às realidades culturais, opondo-se,deste modo , ao método positivista de Durkheim, que pretendia,como vimos,tratar os factos sociais como coisas. Todas as expressões físicas são o produto de estados mentais, pelo que compreender, que consiste tanto numa faculdade como num processo, é realcionar a expressão física com o evento mental apropriado. Luta contra o naturalismo, defendendo a autonomia das ciências do espírito. Considera que a vida humana só pode ser entendida teleologicamente, que é uma realidade unitária, uma unidade de devir e não uma soma ou um agregado de parcelas. Considera que os factos das ciências do espírito apenas podem ser apreendidos pela autognose (Erlebnis), a compreensão da estrutura, através de uma referência de cada facto ao respectivo sentido. Porque só estamos perante uma conduta humana na medida em que o agente ou os agentes lhe associam um determinado sentido. Mesmo na interpretação de um discurso, de um texto ou de uma lei importa integrar as palavras num sentido e o sentido na estrutura do todo.

 

·Einleitung in die Geisteswissenschaften

(1883) (cfr. trad. cast. de Eugénio Imaz, Introducción a las Ciencias del Espirito, México, Fondo de Cultura Economica, 1944; Introduction à l'Étude des Sciences Humaines, na trad. fr., Paris, PUF, 1942)äGeisteswissenschaft...

 

·Ideen uber bescreibende und zergliedernde Psychologie

1894 (Ideias sobre psicologia descritiva e analítica).

 

·Der Aufbau der geschichtkichen Welt in den Geisteswissenchaft

1910 (A construção do mundo histórico nas ciências do espírito).

 

·Théorie des Conceptions du Monde

Trad. fr., Paris, PUF, 1946.

 

·Le Monde de l'Esprit

Paris, Aubier, 1947.

 

4Gardiner, Patrick, Teorias da História[1959], trad. port. de Vítor Matos e Sá, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1974, pp. 256 segs..4Maltez, José Adelino, Ensaio sobre o Problema do Estado, Lisboa, Academia Internacional da Cultura Portuguesa, 1991, I, pp. 180 segs.. ­Idem, Princípios de Ciência Política. Introdução à Teoria Política, pp. 41 e 52; Idem,  O Problema do Direito, pp. 97-98.

 


© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: