Lasswell, Harold D. (1902-1978)

Autor norte-americano, defensor da ciência política como ciência do poder. Aplica à politologia o funcionalismo. Antigo aluno de Merriam salienta-se nos anos trinta e quarenta, principalmente a partir da publicação de Politics: Who Gets What, When, How, de 1936, um título que, por si mesmo, constitui o resumo do programa de uma geração que defende, como objecto da ciência política, a acção de conquista e conservação do poder, entendido como jogo de soma zero. Mantendo os esquemas compor­tamentalistas, trata de introduzir no universo norte-americano autores como Gaetano Mosca, Robert Michels e Carl Schmitt (1888-1985), bem como de invocar a herança de Maquiavel. Doutorado em 1926 em Chicago, depois de investigar em Londres, Genebra, Paris e Berlim, entre 1923 e 1925. Professor de ciência política em Chicago (1922-1938). Passa Yale em 1938, onde é professor de direito de, 1946 a 1970, acumulando a docência de ciência política, de 1952 a 1970. Depois desta data ensina na Ford Foundation e no Bramford College (1970-1976). Colabora na Washington School of Psychiatry (1938-39) e é director de war communications research na U.S. Library of Congress (1939-45). Volta a ser  professor de direito City University of New York (1970-73) e na Temple University (1973-76). Parte do princípio que a política tem a ver com a distribuição de três principais valores: a riqueza, o prestígio e a segurança pessoal. Considerando que o estudo da política é the study of influence and influential, aceita uma visão piramidal da distribuição de valores, onde, na parte de cima, estão poucos, a elite que preserva a sua ascendência, manipulando símbolos, controlando supplies e aplicando a violência. Em nome do realismo, reagia, assim, contra o sentimentalismo e o moralismo dominantes na ideologia do internacionalismo liberal, principalmente como fora assumido por Thomas Woodrow Wilson. Outra das suas obras é Psychopatology and Politics, Nova Iorque, 1930, onde aplica as ideias de Freud à análise política, considerando que a atracção pelo líder não marca de carismo, mas um distúrbio psicológico destes doentes que nos governam, deslocando frustrações para a zona do combate político. Em 1949 publica outra obra fundamental, em colaboração com N. Leites, The Language of Politics, Studies in Quantitative Semantics (Nova Iorque, Georges W. Stewart), e em 1952, em colaboração com Abraham Kaplan, edita Power and Society. A Framework for Political Enquiry, de 1952. Neste último trabalho, considerado como uma espécie de bíblia do modelo empírico-analítico da ciência política, proclamava expressamente que the basic concepts and hypotheses of political science não poderiam incluir elaborations of political doctrine, or what the state and society ought to be.

1928

Psychopatology and Politics

 

 [1ª ed., 1928], Nova York, Viking Press, 1930. Trad. Cast. Psicopatologia y Politica, Buenos Aires, Paidós, 1963.

1935

World Politics and Personal Insecurity

 

Nova York, MacGraw-Hill, 1935.

1936

Politics: Who Gets What, When, How?

 

Nova York, MacGraw-Hill, 1936 [trad. port. Política. Quem Ganha o Quê , Quando e Como?, Brasília, Editora da Universidade de Brasília, 1984].

1939

The Analysis of Political Behavior. An Empirical Approach

 

Hamden, Archon Books/Shoestring Press, 1939 (ed.).

1948

Power and Personality

 

Nova York, W. W. Norton, 1948.

1948

The Communication of Ideas: a Book of Readings

 

Nova York, Harper Bros., 1948 (com L. Bryson)

1949

The Analysis of Political Behavior. An Empirical Approach

 

Oxford, Oxford University Press, 1949.

1949

Language of Politics. Studies in Quantitative Semantics

 

Nova York, George Stewart, 1949. Com Nathan Leites. Ver a trad. port. Linguagem da Política, Brasília, EUB, 1979.

1950

Power and Society. A Framework for Political Inquiry

 

New Haven, Yale University Press, 1950 [trad. port. Poder e Sociedade, Brasília, Editora da Universidade de Brasília, 1979]. Com Abrahan Kaplan.

1950

A Study of Power

 

Illinois, 1950.

1951

The Policy Sciences. Recent Developments in Scope and Method

 

Stanford, Stanford University Press, 1951 [trad. fr. Les Sciences de la Politique aux États Unis, Paris, Librairie Armand Colin, 1951]. Com D. Lerner.

1952

The Comparative Study of s

 

Stanford, Stanford University Press, 1952. Com D. Lerner e Sola Pool.

1956

The Decision Process

 

Maryland, 1956.

1962

The Future of Political Science

 

Nova York, Atherton Press, 1962.

1965

World Revolutionary Elites. Studies in Coercive Ideological Movements

 

Cambridge, Massachussetts, MIT Press, 1965. Com Daniel Lerner.

1967

Elites Revolucionárias

 

Rio de Janeiro, Zahar, 1967. Trad. port. de Waltensir Dutra.

1971

A Pre-View of Policy Sciences

 

Nova York, Elsevier Publishing Co., 1971.

1980

Propaganda and Communication in World History

 

3 vols., Hawaii, University of Hawaii Press, 1980. Com Daniel Lerner e Hans Speier.

 


© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: