Donoso-Cortés, Juan (1809-1853)

 

Juan Francisco Maria Donoso-Cortés, Marquês de Valdegamas. Pensador contra-revolucionário espanhol. Formado em direito e diplomata. Começou como liberal, apoiante da regente Maria Cristina contra o carlismo, como se expressa nas primeiras obras. Secretário da regente quando esta se encontra refugiada em Paris (1840-1843). Muda de posição a partir de 1849, quando era embaixador em Berlim (desde 1848). Passa para Paris a partir de 1850, onde publica o Discurso sobre Europa (1850) e, sobretudo o Ensayo sobre el Catolicismo, el Liberalismo y el Socialismo (1851) que o torna célebre. Aqui vê o socialismo como uma espécie de Anticristo, assumindo uma visão apocalíptica, profetizando a ascensão da Prússia, a decadência da França e a emergência do eslavismo. Propõe como solução o regresso à autoridade secular e supra-estatal do Papa.

 

·Memoria sobre la Situacion Actual de la Monarquia

1832.

 

·Lecciones de Derecho Político

1836-1837.

 

·Principios Constitucionales

1837.

 

·Discurso sobre la Dictatura

1849.

 

·Discurso sobre Europa

1850.

 

·Essai sur le Catholicisme, le Libéralisme et le Socialisme

Paris, versão original em francês, Paris, 1851 (cfr. 3ª ed., Ensayo sobre el Catolicismo, el Liberalismo y el Socialismo Madrid, Ediciones Espasa-Calpe, 1973).

 


© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: