Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

Eleições de 1890 (30 de Março)

 

 

Em 1890, 5 049 729 habitantes no continente e ilhas. 1 315 473 cidadãos masculinos maiores de 21 anos. 951 490 eleitores (18,8% da população total; 72,3% da população masculina maior de 21 anos). 169 deputados. 79 por círculos uninominais no continente. 58 por círculos plurinominais no continente, um círculo por cada sede de distrito. 4 por círculos plurinominais nas ilhas. 12 pelo ultramar. 6 deputados por acumulação de votos. Vitória dos governamentais regeneradores. 115 deputados pelo continente e ilhas. Esquerda Dinástica desaparece e apoia o governo regenerador. 33 deputados progressistas pelo continente e ilhas. 3 deputados republicanos  (Elias Garcia, Latino Coelho, Manuel de Arriaga), todos por Lisboa, com o apoio dos progressistas, em lista de protesto. No poder, o governo regenerador de António Serpa.

 

 

33ª eleição geral

24ª eleição da 3ª vigência da Carta

21ª eleição da Regeneração

169 deputados

80 por círculos uninominais no continente

58 por círculos plurinominais no continente

14 por plurinominais nas ilhas

12 pelo Ultramar

6 por acumulação de votos

30 de Março de 1890[1]

Vitória dos governamentais regeneradores.

951 490 eleitores no Continente e Ilhas

4 660 095 habitantes em Portugal segundo o censo de 1890

Regeneradores

115 deputados

Progressistas

33 deputados

 

Republicanos

3 deputados

 

Lisboa

12 regeneradores

2 progressistas

3 republicanos (Elias Garcia, Latino Coelho e Manuel de Arriaga). Na lista republicana, entra Fernando Palha, o presidente da câmara municipal dissolvida por Lopo Vaz

Graves incidentes provocam dez mortos e cerca de 40 feridos.

 



[1] Lopes d’Oliveira, p. 84 e Pedro Tavares de Almeida, p. 242


© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: