Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

 

Ano de 1843 

 

A desmoralização que largos anos de guerras civis, de emigrações, de cadeias e de ódios políticos tinham acarretado para o país; facção que se instalou no poder pelo temor habilmente explorado de alguns homens de boa-fé, criados com as velhas ideias e timoratos dos excessos revolucionários da demagogia. A partir de então sofismam-se quase todas as leis salutares que o sistema liberal tinha trazido ao paísaumenta-se a rede do funcionalismo estéril… não se faz uma só lei que não seja para interesse particular… o centro da agiotagem devorou tudo … o lucro fascinava. Era a política de ineptos Machiaveis, de Talleyrands rançosos e caducos que reduz-se afinal de contas a um governo de conventículos, a uma associação nauseabundo de estéreis ambições.

 

 

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1843

 

 

 

& No plano das ideias, destaque para o filósofo dinamarquês Soren Kierkegaard (1813-1855), precursor do existencialismo, que publica Temor e Tremor. Neste ano, Karl Marx estaciona em Paris. Em Londres, sob a inspiração do deputado Charles Hindley, reúne-se o I Congresso internacional das peace societies, apoiado pelos quakers e matriz do pacifismo filantrópico e humanitarista.

Utilizando a teoria dos business cycles, de Schumpeter, podemos dizer que, depois do ciclo da Revolução Industrial (1787-1843), marcado pelos negócios do algodão, do aço e do vapor, seguiu-se o ciclo burguês, até 1897, marcado pelo caminho de ferro, antes de atigirmos o ciclo neomercantilista, marcado pela electricidade, pela química e pelo automóvel. A Espanha, sob o reinado de Isabel II, vai ser governada, de 1843 a 1854 pelo chamado partido moderado.

No ano um do cabralismo institucionalizado, e apoiado numa ditadura da maioria de carácter parlamentar, destaca-se a publicação, por Almeida Garrett, do drama Frei Luís de Sousa, bem como do Romanceiro e Cancioneiro Geral, com um segundo volume, em 1850. Escreve Viagens na Minha Terra, também em 1843, mas esta obra apenas será publicada em 1846. Tinha sido eleito deputado pelo Minho em 1842, desempenhando tal cargo em 1843, onde se destaca pela apresentação na Câmara de uma série de leis orgânicas que nem sequer chegam a ser discutidas. Já Alexandre Herculano publica, na revista Panorama, o romance histórico O Bobo, enquanto José Estevão defende contra o crime de abuso de liberdade de imprensa o jornal miguelista Portugal Velho.

O Padre Marcos Pinto Soares Vaz Preto (1782-1851), arcebispo de Lacedemónia desde 1835, confessor de D. Pedro IV e de D. Maria II, torna-se grão-mestre da Loja Provincial do Oriente Irlandês, a partir de 1843 e até à data da sua morte. Neste ano de 1843, Miguel António Dias publica História da Franc-Maçonaria ou dos Pedreiros-Livres.

Já em Coimbra, a Imprensa da Universidade edita os Elements de Droit Politique de Macarel e o oficial prussiano, o príncipe Félix Lichnowsky (1814-1848) edita em Mogúncia umas memórias, depois traduzidas em português em 1845, Portugal. Recordações do Ano de 1842.

Estamos no ano da introdução sistematizada do krausismo em Portugal, devido, sobretudo, à acção de Vicente Ferrer Paiva que, na Faculdade de Direito de Coimbra, deixa de utilizar as velhas sebentas iluministas de Martini e passa para as lições de Ahrens, a ideologia maçónica suave que, a partir da Universidade Livre de Bruxelas, era exportada para os países da Europa Católica

Janeiro

27 Luís Mousinho de Albuquerque discursa na Câmara dos Deputados, sobre a questão da aprovação do bill de indemnidade, considerando que o princípio único de toda a Política é a Moral. Finanças, interesses materiais, formas de Governo, tudo é adventício, tudo é subordinado a esse princípio único. Tudo são entidades secundárias, tudo são acessórios do Edifício da existência social. Em nome da independência portuguesa e do carácter nacional, fala em servir o Estado...o Estado, a República...este dever todo moral, todo patriótico, declarando não querer ser subserviente: quem se persuadiria haver neste Reino alguém que pudesse, pela violência, curvar a minha cabeça diante de outra coisa, que não fosse o dever e a Lei? Capital engano. O meu ser frágil poderia ser esmagado, aniquilado; mas nunca foi, nem há-de ser envilecido. Hei-de permanecer, fora e dentro da Câmara, com toda a minha liberdade e independência. (MP, pp. 276 ss.). Apresenta então a respectiva demissão do cargo de inspector-geral das obras públicas do reino, cargo que exercia desde 1842.

Fevereiro

18 Entra em funcionamento a ponte pênsil sobre o rio Douro, diante do Porto.

Março

7 Reforma do ensino

Junho

30 As Cortes são adiadas por 138 dias, até 15 de Novembro de 1843.

Julho

4 É representada pela primeira vez, por um grupo de amadores, na Quinta do Pinheiro, a Sete Rios, a peça de Almeida Garrett, Frei Luís de Sousa.

17 Garrett embarca no Terreiro do Paço para uma viagem até Santarém. No mês seguinte começa a publicar na Revista Universal Lisbonense, dirigida por António Feliciano de Castilho, um texto retomado, na mesma a partir de Junho de 1845, que constituirá as Viagens na Minha Terra, editadas autonomamente em dois volumes, no ano de 1846.

                         

 

 


 
© José Adelino Maltez
Todos os direitos reservados.
Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência:
Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info)
Última revisão em: 11-04-2009