Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

 

Governo do duque da Terceira/ Joaquim António de Aguiar

De 16 de Março de 1859 a 4 de Julho de 1860

 

Promove as eleições de 1 de Janeiro de 1860

 Novo governo regenerador. Terceira morre em 26 de Abril de 1860. Nova lei eleitoral de 23-05-59 (círculos uninominais).·Até à sua doença, Terceira acumulou a presidência, a guerra e os estrangeiros. Terceira morre em 26 de Abril de 1860.

· Fontes Pereira de Melo no reino, mas acumulando a marinha desde 16 de Março de 1860;

·João Baptista da Silva Ferrão Martens, dito Martens Ferrão, nos negócios eclesiásticos e justiça (até 4 de Julho de 1860).

·José Maria do Casal Ribeiro (1825-1896) na fazenda, com os estrangeiros desde 24 de Abril de 1860.

·Adriano Maurício Guilherme Ferreri na marinha (até 12 de Março de 1860, quando faleceu)

·António Serpa nas obras públicas.

·A partir de 1 de Maio, o governo passa a ser presidido por Joaquim António de Aguiar, depois da morte de Terceira em 26 de Abril.

Em 16 de Março de 1860:

·Fontes substitui Adriano Maurício Ferreri na marinha, por morte deste. Teve uma congestão cerebral em plena Câmara dos Deputados em 9 de Março de 1860.

Em 24 de Abril de 1860,

·Com a doença de Terceira, António Serpa passa a acumular a guerra e Casal Ribeiro a acumular os estrangeiros.

 Em 1 de Maio de 1860:

·Joaquim António de Aguiar assume a presidência;

·Joaquim António Velez Barreiros, barão da Senhora da Luz assume a pasta da guerra;

·José Marcelino Sá Vargas na marinha

·Casal Ribeiro mantém a fazenda e os estrangeiros

·António Serpa fica apenas com as obras públicas.

 

 

 

 


 
© José Adelino Maltez
Todos os direitos reservados.
Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência:
Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info)
Última revisão em: 11-04-2009