Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

Abstracção

Do latim abstractione, retirada, abstracção, expressão originária de ab-trahere, tirar de. Vem de trahere, tirar, puxar, arrancar. Em sentido amplo, o processo de tirarmos, do todo, uma parte, um mero aspecto da questão geral, a fim de sujeitarmos essa parcela a uma análise mental. Trata-se de um processo de formação de conceitos gerais, omitindo aspectos distintos das qualidades parcelares tiradas das noções de coisas particulares, oriundo, sobretudo, do conceptualismo de Pedro Abelardo. Em sentido estrito, processo pelo qual, partindo-se de elementos particulares e variáveis, se atingem os elementos essenciais e permanentes, chegando-se ao nível dos tipos abstractos ou das leis científicas, pelo método da indução. Assim, admite-se a possibilidade do estabelecimento de uma lei universal, através da mera percepção sensível, a chegada à inteligência a partir dos próprios sentidos. O exagero da abstracção no pensamento político pode conduzir a fórmulas sem conteúdo real, a ideias sem aplicação prática, donde não pode retirar-se regras de conduta.

 

 




© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Última revisão em: 10-02-2009