Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

Bret, Pierre Cardin Le (1558-1655)

Conselheiro jurídico de Richelieu. Considera que a soberania é tão pouco divisível quanto um ponto em geometria, numa expressiva atracção geométrica e racionalista. Salienta que o poder soberano pela sua natureza está para a realeza assim como a luz está para o sol, sendo sua companheira inseparável. Observa, no entanto, que tanto a soberania popular como a soberania patrimonial do feudalismo não são verdadeiras soberanias, porque a soberania perfeita não depende senão de Deus e não está sujeita senão à lei de Deus. Daí considerar que a organização do Estado não deve ser apenas um estabelecimento humano. Porque o Rei é imagem de Deus, o lugar-tenente de Deus na Terra. O rei é rei pela graça de Deus e a soberania tem que ser simultaneamente absoluta, una e indivisível.

De la Souverainité du Roi et que sa Majesté ne se peut soumettre à qui ce soit, ni alièner son domaine à perpetuité

1632

© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 14-12-2003