Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004


Corpo místico.

O contrário do corpo mecânico. Conceito teológico que exprime uma  realidade existente, mas não sensível. Um corpo que apesar de ter muitos membros se assume unitariamente, sendo teleologicamente dinamizado. São Paulo considerava: assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, ainda que sejam muitos, são contudo, um só corpo. A imagem vai servir à neo-escolástica peninsular para fazer uma analogia com o corpo político, dotado de unidade na diversidade. Suárez fala num corpus politicum et mysticum que resulta de um específico acto de união para uma associação moral, uma comunidade mística, unida por um fim, uma comunidade politicamente organizada e não apenas uma multidão inorgânica.

Corpus mysthicum Os glosadores anteciparam a ideia de pessoa colectiva retomando a figura privatística romana da universitas, onde o conjunto é algo de diferente das pessoas ou coisas que o integram. Foram também eles que ligaram esta perspectiva à ideia teológica de corpus misthicum, entendido como realidade existente, mas não sensível. Uma personalidade do povo que era consolidadamente entendida como uma espécie de personalidade colectiva, como universitas, communitas, corpus e que como tal ainda aparece em Junius Brutus, na Vindiciae contra Tyrannos, Althusius, Grócio e em toda a escolástica peninsular.

Para S. Tomás há uma ordem total do universo governado pela ordem divina, um corpus mysticum que une todas as criaturas, onde Cristo é o rei dos reis.

 

 




© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Última revisão em: