Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

Delos, Joseph T.

Um dos teóricos do institucionalismo organicista, na senda de Hauriou. Refere, quanto às origens da nação, "a passagem da comunidade de consciência à consciência de se formar uma comunidade",considerando que "no momento em que desperta a consciência da sua unidade e da sua individualidade e em que se afirma a vontade de continuar essa vida comum,o grupo étnico" atinge a "consciência nacional".Para ele "graças a este elemento subjectivo - consciência e querer viver em comumn - a nação aparece distinta do meio étnico,no sentido estrito da palavra, permanecendo todavia ligada a ele como um estado posterior, relativamente a um anterior". Este mesmo autor institucionalista considera que "a nação não tem valor senão pela função que exerce em prol da pessoa humana. Transmite-nos um génio nacional e uma herança; e este benefício é a justificação e, ao mesmo tempo, a medida dos seus direitos.É o ponto de vista objectivo da finalidade e da função que prima na determinação do direito das nações". Para ele "as nações têm uma finalidade própria: a cultura.Têm por função transmiti-la e inscrevê-la em traços indeléveis na alma de cada um dos seus membros"

· La Societé Internationale et les Principes de Droit Publique

Paris, 1928.

· La Nation

Montréal, Éditions L’Arbre, 1944.

© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: