Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

Havel, Vaclav (n. 1936)



Poeta, dramaturgo e dissidente checo. Presidente da Checoslováquia de Dezembro de 1989 a Julho de 1992 e da República Checa desde Janeiro de 1993. Funda uma companhia de teatro em 1959. Assume-se  como dramaturgo residente do Teatro da Balaustrada de Praga em 1968. Preso de 1979 a 1983. Autor das peças Zahradní slavnost (1963), Vyrozume(1965), Ztízená moznost soustrede (1968), Vernisáz (1975) e Largo Desolato (1985). Destacado dirigente do Forum Cívico que lidera a revolução de veludo em Novembro de 1989. 

Tenta determinar as causas do totalitarismo, elencando as seguintes: a concepção dominante da ciência moderna, o racionalismo, cientismo, a revolução industrial e a revolução em geral enquanto fanatismo da abstracção, o culto do consumo. Tudo, aliás, remontaria a Maquiavel o primeiro a formular a teoria da política como uma tecnologia racional do poder. Assim, se considera que os totalitarismos do Leste teriam sido mera expansão retroactiva dos frutos da própria expansão do pensamento europeu ocidental. Já no tocante aos efeitos do totalitarismo, já salienta que, depois do estalinismo, ter-se-ia atingido um estádio de pós-totalitarismo que divergiria profundamente das ditaduras clássicas. Se estas tinham sido localmente restritas, já os modelos pós-totalitários a estariam dependentes de um bloco liderado por uma superpotência. Se as ditaduras clássicas teriam constituído meros acidentes sem raízes históricas, onde dominava o acaso, o arbitrário e a improvisação, já o modelo pós-totalitário constituiria um mecanismo perfeito e refinado de manipulação da sociedade. Enquanto, nas ditaduras clássicas haveria o entusiasmo revolucionário dos heróis, eis que nos modelos pós-totalitários seria marcante o cinzentismo de uma sociedade industrial de consumo, esquecendo-se que se baseiam na autenticidade dos movimentos operários e socialistas do século XIX e onde o poder político passou a deter o monopólio dos meios de produção.

·Essais Politiques
Paris, Éditions Calmann-Lévy, 1989 [trad. port. Ensaios Políticos, Adriano Moreira, pref., Amadora, Livraria Bertrand, 1991].

 




© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Última revisão em: