Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

 

Jansen, Cornelius (1585-1640)

Bispo católico holandês. Estuda em Lovaina onde é influenciado pelas teses de Miguel Bayo, defensor da naturalidade da graça, considerando que, depois do pecado cessa a liberdade interior da pessoa. Assume um programa contrário às teses de Luís de Molina e dos jesuítas da segunda escolástica, retomando Santo Agostinho. Autor de Augustinus, sive doctrina Sancti Augustinus de humanae naturae sanitate, aegritudine, medicina adversus Pelagianos et Mussilienses, editada postumamente em 1640.

Jansenismo Doutrina religiosa e política inspirada nas teses de Jansen. Defense as teorias agostinianas da predestinação contra as teses tomistas do racionalismo e do livre arbítrio. Tem como programa libertar os espíritos do racionalismo. Considera que só pode obedecer à vontade divina aquele que já escolheu seguir a graça. Porque Deus predestina todas as pessoas, ou para a salvação ou para a condenação e o ser humano é impotente, tanto perante a inclinação para o pecado, como perante o impulso da graça para o bem. O modelo influencia Pascal e a comunidade de Port-Royal, bem como Racine, Boileau, Fénelon e Bossuet. Transforma-se num programa de luta contra o barroco, marcado pelo rocócó e pelo gongorismo e favorece o desenvolvimento do galicanismo, quando proclama a autonomia dos bispos face ao papa, ao mesmo tempo que deixa livre o desenvolvimento do poder real, não pondo peias ao absolutismo. Em Portugal houve recepção do jansenismo, sobretudo em matéria política, sendo várias as tentações de criação de uma Igreja Lusitana independente de Roma, desde D. João IV. Neste sentido se compreende a restauração do Beneplácito Régio, com D. João V. As doutrinas jansenistas também favoreceram o pombalismo, havendo reflexo das mesmas em autores como António Pereira de Figueiredo, autor de De Suprema Regum, e António Ribeiro dos Santos, autor de De Sacerdocio et Imperio.

 
© José Adelino Maltez
Todos os direitos reservados.
Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência:
Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info)
Última revisão em: 09-03-2009
 
 




© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Última revisão em: 09-03-2009