Radcliffe-Brown, Alfred Reginald 1881-1955

Antropólogo britânico. Estuda em Cambridge, aluno de W. H. R. Rivers. Faz um trabalho de campo nas Ilhas Andaman (1906-1908) e na Austrália Ocidental (1910-1912). Preceptor do rei de Tonga em 1916. Professor de antropologia social na Cidade do Cabo (1920-1925), Sydney (1925-1931), Chicago (1931-1937), Oxford (1937-1946) e São Paulo, aqui em 1942-1944. Influenciado por Durkheim, está na origem do estrutural-funcionalismo structural-functional analysis). Define a função como o papel desempenhado por qualquer actividade na vida social total e, por conseguinte, na contribuição que dá a manutenção da permanência estrutural, da perenização das estruturas empiricamente verificáveis. A função surge como a contribuição dada por um determinado elemento para a manutenção da estrutura; o sistema é entendido como mera unidade funcional; e a estrutura, concebida como um simples acordo entre pessoas que têm entre si relações institucionalmente controladas e definidas. E da soma da ideia de sistema com a ideia de estrutura é que resulta a ideia de processo da vida social que, em si mesmo, consiste num imenso número de acções e interacções de seres humanos agindo como indivíduos ou em combinações ou grupos (... ) Os componentes ou unidades da estrutura social são pessoas, e uma pessoa é um ser humano, considerado não como um organismo, mas ocupando uma posição na strutura social.

 

 

· The Andamam Islanders

1922. Nova Ed. Nova Iorque, Free Press, 1948.

Prefácio a African Political Systems, de Edward Evans-Pritchard e Mayer Fortes

1940.

· A Natural Science of Society

Chicago, University of Chicago Press, 1948.

· Sistemas Políticos Africanos de Parentesco e Casamento

1950. Trad. port. de Teresa Brandão, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1974. Com Daryll Forde.

· Structure and Function in Primitive Society

Londres, Cohen and West, 1952. Cfr. trad. fr. Structure et Fonction dans la Societé primitive, Paris, Éditions de Minuit, 1968.

· Government and Politics in Tribal Societies

Londres, 1956. Com J. Schapera.

· Method in Social Anthropology

1958.

–Maximalismo, 73, 491 40, 250

© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 11-01-2004